Arquivo | Algarve RSS feed for this section

Doce Fino

2 Maio

História:

            Com os mais variados nomes – Pasta ou Massa de Amêndoa, Doce Fino, Massapão, Massapan ou Marzipan -, esta pasta permite fazer os mais diversos doces, como são: “Doce Fino Algarvio”, Queijinhos de Amêndoa, Morgado, Rolhas de Maio, Paposecos -são moldados e colocados no forno a ganhar cor-, para cobrir e decorar bolos, etc.
Os “doce fino” são uns bolinhos algarvios caracterizados por representarem formas que fazem parte do nosso dia-a-dia, sobretudo na cozinha, como sucede com frutas, legumes, animais, etc.
Noutras vezes, retratam figuras populares, que povoam o nosso imaginário, ou servem até para darmos asas livres à nossa criatividade.

Receita:

Ingredientes:

  • 500 gr Amêndoa pelada e muito bem moída
  • 500 gr de Açúcar
  • Água q. b. para cobrir o açúcar

Para pelar a amêndoa:
Ferver água, tirar do fogo e juntar a amêndoa, esperar até arrefecer um pouco e descascá-la. Deixar secar um dia ou dois.

Preparação:
Moer a amêndoa 3 vezes na picadora tipo 1,2,3. Pesar a amêndoa e colocar a mesma quantidade de açúcar num tacho e juntar a água. Vai a lume brando. Deixar ferver até ponto fio* (vai-se mexendo de vez em quando, com a colher de pau, para ajudar a dissolver o açúcar). Quando estiver em ponto de fio, junta-se a amêndoa, mexe-se rapidamente, até ficar uma pasta sem grumos. Tira-se do fogo. Continua-se a mexer até arrefecer ao ponto de pudermos colocar as mão sem queimar: por esta altura a pasta já está durinha. Amassa-se sobre a pedra mármore (vai-se fazendo um rolinho, depois viram-se as pontas para dentro, sucessivamente, até a massa ficar firme e quase fria). Acondiciona-se numa taça, de preferência de vidro, tapada. Nesta fase não guardar no frigorífico. Deixa-se descansar até ao dia seguinte. Moldam-se os bolinhos. A restante massa guarda-se no frigorífico, em caixa bem fechada. Não deve apanhar humidade. Tem um mês de validade.

Notas:
Não usar tacho de alumínio, pode ser de inox ou anti-aderente usado só para esse efeito, assim como a colher de pau.

Ponto de fio: A calda estará neste ponto se, molhando o dedo indicador na calda e unindo-o em seguida ao polegar e afastando-o, formar-se um fio quebradiço.

Anúncios

Torta de alfarroba

24 Abr

História:

É uma das marcas da influência árabe no Algarve. As sementes de alfarroba tiveram funções essenciais ao longo da história das mais importantes civilizações. No Egipto serviam para preparar as múmias. Na Roma antiga, como pastilha elástica. Na era moderna eram a medida de referência para pesar diamantes. E no Algarve, durante muito tempo, serviam apenas para alimentar os burros. Até que alguém decidiu experimentar a semente. É peça fundamental na doçaria algarvia. O sabor é bastante adocicado, mas quem prova vicia.

Receita:

Ingredientes:

  • 3 ovos
  • 1 chávena de açúcar
  • 1 chávena de farinha
  • 3/4 chávena de óleo
  • 1 chávena de leite
  • 1 colher sopa de vinho do porto
  • 1 colher de chá de canela em pó
  • 2 colheres chá de fermento em pó
  • 2 colheres de sopa de farinha de alfarroba

Preparação: Pré-aquecer o forno a 180ºC.  Untar uma forma de bolo inglês (pequena) com manteiga e polvilhar com farinha de alfarroba. Reservar.  Bater os ovos com o açúcar, o óleo e o leite até ficar bem misturado.  Adicionar a canela e o vinho do porto e envolver.  Misturar a farinha de alfarroba com a farinha de trigo e o fermento. Envolver delicadamente.  Verter na forma e levar ao forno, cerca de 40 minutos ou até passar o teste do palito. Esperar 5 minutos antes de desenformar.

 

Dom Rodrigo

24 Abr

História:

É o doce considerado rei do Algarve. Está em qualquer vitrina das melhores doçarias da região, e tem como história original, a de que o nome vem de um frade de um mosteiro em Lagos, responsável pela receita original do doce, que idealizou uma mistura perfeita de fios, doce de ovos, miolo de amêndoa, canela e açúcar, que depois é embrulhada em papéis coloridos característicos desse doce.

Receita:

Ingredientes:

  • 250 grs de fios de ovos ;
  • 50 grs de miolo de amêndoa ralada ;
  • 250 grs de açúcar ;
  • meio dl de água ;
  • 4 gemas ;
  • canela q.b.

Preparação:

Num tacho coloque 200 grs de açúcar coberto de água e leve ao lume até formar ponto de pérola. Retire do lume e misture a amêndoa. Deixe que fique morno, junte as gemas e leve novamente ao lume, mexendo até engrossar. Polvilhe com um pouco de canela. Com o restante açúcar e água faça uma calda em ponto de fio. Numa frigideira coloca-se a calda e leva-se ao lume. Quando ferver, deitam-se os fios de ovos e, sobre estes,  mistura feita anteriormente com o açúcar, amêndoa e as gemas. Com a ajuda de duas espátulas, enrolam-se os fios de ovos em torno do recheio, envolvendo-o completamente. Deixe alourar e retire da frigideira. Corte 6 quadrados de folha de estanho prateado ou colorido. Separe a preparação em quantidades iguais pelos 6 quadrados de estanho, una as quatro pontas de cada quadrado e enrole-as.